Que Doppler escolher?

O Doppler permite estimar a velocidade do fluxo sanguíneo num órgão ou num vaso sanguíneo e, desta forma, detetar certas patologias vasculares, como o estreitamento do diâmetro de um vaso sanguíneo ou danos numa veia ou artéria. Pode ser associado a um ecógrafo (aparelho de ultrassonografia) para analisar a vascularização de certos órgãos e tecidos, o chamado eco‑Doppler, ou ultrassonografia Doppler.

Dopplers: ver produtos

  • Como funciona o Doppler?

    A sonda Doppler emite ondas de ultrassons que, uma vez refletidas pelo fluxo sanguíneo, em movimento em relação à sonda, apresentam frequências diferentes. A variação de frequência entre a onda de ultrassom emitida e a onda de ultrassom refletida é usada para avaliar a dinâmica do fluxo sanguíneo, como a velocidade e direção.

    Esta avaliação hemodinâmica é fundamental para detetar certas patologias cardiovasculares (ver secção seguinte).

  • Quais são as principais aplicações do Doppler?

    O Doppler é usado para diagnosticar várias doenças cardiovasculares, de que se destacam a flebite, certos tipos de aneurismas e o sopro cardíaco. Apresentamos, de seguida, uma lista mais completa das suas principais aplicações:

    • deteção de flebite (eco‑Doppler);
    • deteção de certos tipos de aneurismas (eco-Doppler);
    • deteção de sopro cardíaco (eco-Doppler);
    • análise da vascularização dos órgãos (eco-Doppler);
    • monitorização vascular intraoperatória (eco-Doppler);
    • audição dos batimentos cardíacos do feto e da mãe (Doppler fetal);
    • deteção de embolia cerebral e monitorização subsequente (Doppler transcraniano);
    • deteção e monitorização de malformações arteriovenosas cerebrais (Doppler transcraniano);
    • avaliação de um traumatismo craniano (Doppler transcraniano);
    • diagnóstico de morte cerebral, etc.
  • Quais os diferentes tipos de Dopplers?

    Eco‑Doppler a cores Sonoscape

    Eco‑Doppler a cores Sonoscape

    Existem diferentes tipos de Dopplers, consoante exibam os resultados por meio de sons, de gráficos ou de imagens.

    • Dopplers acústicos: apresentam os resultados sob forma sonora. Por exemplo, o Doppler transcraniano permite registar a velocidade dos glóbulos vermelhos nos vasos sanguíneos mediante uma sonda que emite uma onda sonora de alta frequência que penetra no corpo. A sonda capta, depois, a onda que é refletida, e é a diferença de frequência entre as duas que fornece informações sobre a velocidade dos glóbulos vermelhos.
    • Dopplers espectrais: apresentam as medições do fluxo sanguíneo num gráfico, que representa as velocidades de fluxo registadas ao longo de um período de tempo.
    • Doppler colorido, ou Doppler a cores: este é acoplado a um aparelho de ecografia e permite visualizar a distribuição e a direção do fluxo sanguíneo num órgão ou num vaso arterial ou venoso. O fluxo sanguíneo que se dirige para a sonda de exploração é representado pela cor vermelha, e o que se afasta da sonda pela cor azul.
  • Qual a diferença entre um doppler unidirecional e um doppler bidirecional?

    Doppler unidirecional da marca Elcat

    Doppler unidirecional da marca Elcat

    Irá utilisar-se um doppler unidirecional ou bidirecional em função do tipo de vasos sanguíneos a examinar.

    • Dopplers unidirecionais: são usados para analisar o fluxo sanguíneo quando este ocorre numa única direção.
    • Dopplers bidirecionais: são usados na análise dos fluxos sanguíneos em ambas as direções.
  • O que é um Doppler espectral?

    Doppler espectral transcraniano da Neural Analytics

    Doppler espectral transcraniano da Neural Analytics

    Recorre‑se ao Doppler espectral para medir a velocidade do fluxo sanguíneo em certos vasos ou órgãos. Esta velocidade é representada por um diagrama. Quanto mais rápido o fluxo sanguíneo, maior será a amplitude exibida nos resultados.

    Existem dois tipos de Dopplers espectrais: contínuos e pulsados.

    Quando a velocidade do fluxo é muito elevada, pode ocorrer o fenómeno de aliasing. Nesse caso, o sinal deixa de ser pertinente, uma vez que o Doppler não será capaz de determinar a velocidade e/ou a direção do fluxo sanguíneo. Este problema pode ser corrigido elevando‑se o limite de Nyquist, ou seja, aumentando a frequência de amostragem.

  • Que permite saber a morfologia das ondas de um Doppler arterial?

    Pode avaliar-se o estado da artéria de um paciente em repouso com um doppler acústico ou espectral. No caso do Doppler espectral, o seu traçado poderá, então, ser trifásico, bifásico ou monofásico.

    • Traçado trifásico: quando se analisa a artéria de um paciente saudável e em repouso, o traçado é trifásico. Significa isto que se pode identificar as três fases principais do batimento cardíaco (sístole, diástole, retração elástica).
    • Traço bifásico: quando se analisa a artéria de um paciente em repouso com uma patologia leve ou moderada, obtém-se um traçado bifásico.
    • Traçado monofásico: a análise da artéria de um paciente em repouso que sofra de uma patologia mais grave dará origem a um traçado monofásico. Será necessário realizar um exame mais aprofundado para determinar a localização da oclusão.
  • Que funcionalidades suplementares pode oferecer um Doppler?

    Para além das funções de base, alguns modelos de Dopplers permitem, por exemplo:

    • determinar a frequência cardíaca (cardiofrequencímetro);
    • calcular o índice sistólico tornozelo-braço, para diagnosticar doenças arteriais periféricas;
    • detetar um aneurisma da aorta abdominal (AAA);
    • detetar embolias (Dopplers transcranianos).
Guias relacionados
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será visível. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados com *