Que conjunto odontológico escolher?

O conjunto odontológico, também conhecido por unidade dentária, é indispensável em qualquer consultório dentário. Permite ao dentista colocar o paciente numa posição confortável e prestar os cuidados de saúde oral necessários. Este equipamento é composto, principalmente, por uma cadeira de estomatologia para posicionar o paciente, um suporte de instrumentos ao qual estão ligados vários instrumentos rotatórios, uma lâmpada para iluminar o campo de trabalho, uma cuspideira e um sistema de aspiração.

Conjuntos odontológicos: ver produtos

  • O que distingue o conjunto odontológico de uma cadeira odontológica?

    Conjunto odontológico TENEO da Dentsply Sirona

    O conjunto odontológico é muitas vezes impropriamente chamado cadeira odontológica, cadeira de estomatologia ou ainda cadeira de dentista, mas, na realidade, a cadeira odontológica é apenas um dos elementos do conjunto.

    Embora existam algumas diferenças entre os diversos modelos, a maioria dos conjuntos odontológicos vêm equipados com um sistema de aspiração e um suporte com os principais instrumentos de trabalho do médico-dentista:

    • Peças de mão, entre as quais turbinas, contra-ângulos e micromotores, para preparar a cavidade do dente;
    • A seringa de ar-água, usada para lavar e secar a zona da intervenção;
    • Destartarizadores, ou scalers.

    Cadeira de estomatologia

    A cadeira é um elemento muito importante da unidade dentária, sobretudo em termos de ergonomia, para o conforto do paciente mas também do médico-dentista. Todos os modelos oferecem a possibilidade de regular a altura da cadeira, a sua inclinação e a posição do apoio de cabeça.

    Os restantes elementos que fazem parte do conjunto odontológico são:

    • A iluminação direcional, que o dentista pode reposicionar para ter uma visão clara do interior da boca do paciente;
    • O aspirador de saliva, que, como o próprio nome indica, serve para aspirar a saliva junto às glândulas sublinguais;
    • A cuspideira e o dispensador de água, para que o paciente possa enxaguar a boca durante e no final do tratamento;
    • O pedal, que permite ao dentista acionar os instrumentos.

    No final de cada consulta, todos os instrumentos odontológicos reutilizáveis são esterilizados e os descartáveis deitados fora.

  • Como funciona um conjunto odontológico?

    Há quatro elementos principais a considerar: o sistema de ar comprimido, o circuito hídrico, a instalação elétrica e as características ergonómicas.

    • Sistema de ar comprimido: os conjuntos odontológicos que necessitam de ar comprimido, e que constituem a maioria, são ligados a um compressor de ar ou a uma rede de ar comprimido. Em geral, os compressores geram uma pressão de 8 a 10 bar, demasiado elevada para o equipamento odontológico que, dependendo do modelo, é concebido para receber ar a uma pressão entre 4,5 e 5,5 bar. Para reduzir esta pressão aos níveis recomendados pelos fabricantes, deve-se, por exemplo, instalar à saída do compressor um redutor de pressão, eventualmente com um filtro. Uma vez que os sistemas de ar comprimido são bastante ruidosos, deve ser dada especial atenção ao isolamento sonoro do consultório dentário.
    • Circuito hídrico: os conjuntos odontológicos devem ser igualmente ligados a um circuito de água para fins de enxaguamento, limpeza e arrefecimento. No entanto, a água pode estar na origem de muitas falhas e avarias nos conjuntos odontológicos, causadas mais precisamente pelo calcário, pelo cloro, pela ferrugem ou pela presença de partículas de areia na água. Além disso, podem-se desenvolver rapidamente biofilmes bacterianos nas superfícies internas das mangueiras e dos depósitos ligadas a estas. A melhor forma de evitar estas complicações e preservar o conjunto odontológico é interrompendo o fornecimento de água no final de cada dia de trabalho. Para tal, instale uma válvula de corte geral de água num local acessível do consultório. É importante que escolha uma válvula fácil de limpar. Para reduzir a formação de depósitos de calcário no circuito hídrico, recomenda-se a utilização de cartuchos especiais de silicofosfato, que têm uma duração de cerca de seis meses.
    • Instalação elétrica: é necessária uma ligação à rede elétrica para acionar os instrumentos da unidade, como os micromotores, e regular alguns dos seus componentes, como a altura e a inclinação da cadeira.
    • Características ergonómicas: estão relacionadas com os movimentos possíveis de diferentes componentes da estação, tais como a cadeira do paciente e o suporte dos instrumentos. Alguns estudos sobre ergonomia em medicina dentária recomendam que o médico-dentista trabalhe com uma bandeja de instrumentos fixada ao braço articulado da unidade e a posicione por acima do peito do paciente, o que lhe permitirá observar todo o campo de trabalho e, simultaneamente, manter uma boa postura. Refira-se, ainda, que se deve regular a altura da cadeira do paciente para que esta fique mais alta que o assento de trabalho, quer do dentista quer do assistente. Assim, a coluna vertebral do dentista mantém a sua curvatura natural, evitando uma pressão prolongada sobre os discos intervertebrais.

    Principais elementos a considerar para o bom desempenho do conjunto odontológico:

    • Sistema de ar comprimido
    • Circuito hídrico
    • Instalação elétrica
    • Características ergonómicas
  • Que outros fatores ter em conta na escolha de um conjunto odontológico?

    Além dos sistemas de alimentação necessários para o bom funcionamento da unidade dentária, há ainda três fatores importantes a considerar:

    • Dimensões: a escolha da configuração da unidade dentária (compacta ou não) e do número de componentes/acessórios terá de ser feita em função do espaço disponível no consultório.
    • Aplicações previstas: na maioria dos conjuntos odontológicos, é possível realizar tratamentos muito diversos de todos os ramos da odontologia, como a endodontia, a periodontologia, a implantologia, etc. Destaca-se, contudo, que existem conjuntos odontológicos próprios para ortodontia, que vêm equipados com instrumentos específicos.
    • Transportabilidade: no mercado existem unidades dentárias portáteis, com rodas ou em malas de transporte, cujo peso não vai muito além dos 10 kg. Estes modelos, que podem ter incluído um compressor de ar, são ideais para a prestação de cuidados de saúde oral fora da clínica e para unidades móveis de medicina dentária.
  • Como desinfetar o conjunto odontológico?

    É imprescindível efetuar a desinfeção da água, da cadeira e das restantes superfícies do conjunto odontológico.

    • Água utilizada nos tratamentos: Ficou demonstrado em estudos recentes que o circuito hídrico de arrefecimento das unidades dentárias pode ser colonizado por diferentes agentes patogénicos. A estagnação da água durante a noite e/ou a falta de manutenção regular dos sistemas de descalcificação centralizados favorecem o desenvolvimento de algas e de microrganismos como os fungos, que vão então formar um biofilme. Existem várias técnicas de desinfeção da água, entre as quais o uso de raios UV, para eliminar as bactérias e prevenir o desenvolvimento de biofilme, ou ainda o recurso a sistemas automáticos de limpeza e desinfeção, que tratam a água libertando continuamente pequenas doses de um produto próprio.

     

    • A cadeira: a cadeira é utilizada por todos os pacientes e por vezes é atingida por salpicos de saliva, de sangue e outros fluidos corporais. Se não for devidamente desinfetada, os pacientes e os profissionais de saúde podem ser expostos a diversos tipos de microrganismos, como os vírus do herpes, das hepatites B e C, o HIV, estafilococos, estreptococos, etc. Estes microrganismos podem ser transmitidos através do contacto direto com o sangue ou outros fluidos corporais, e alguns mesmo através do contacto indireto com objetos contaminados. Também pode acontecer que a cadeira do paciente tenha parasitas, como piolhos e percevejos. Por conseguinte, é crucial desinfetá-la com produtos adequados após cada consulta.

     

    • Outras superfícies: Para limitar o desenvolvimento de bactérias, as superfícies metálicas da unidade dentária podem ser protegidas com revestimentos antibacterianos e devem ser limpas com os desinfetantes apropriados. Alguns modelos de conjuntos odontológicos permitem regular automaticamente a posição da cadeira e/ou do suporte de instrumentos, de modo a minimizar o contacto com as mãos e, consequentemente, o risco de contaminação.
  • Que outras opções se podem encontrar em conjuntos odontológicos?

    Certos  modelos mais complexos oferecem soluções adicionais integradas, como um monitor de vídeo ou um gerador de raios X.

    Os sistemas de radiografia intraoral com placas de fósforo permitem realizar radiografias panorâmicas, usadas nomeadamente para fins de diagnóstico e de avaliação em ortodontia. Alguns fabricantes propõem soluções tecnológicas avançadas capazes de gerar imagens de alto contraste com baixas doses de radiação.

    Existem, igualmente, sistemas portáteis de radiografia dentária, utilizados para realizar radiografias intraorais quando não é possível recorrer a um aparelho fixo.

    Cada vez mais profissionais aderem aos equipamentos odontológicos digitais a fim de otimizarem a sua prática clínica e oferecerem um serviço cada vez melhor aos seus pacientes. Com este tipo de equipamento, o dentista poderá obter e visualizar quase imediatamente as radiografias, o que também é prático para o paciente.

Guias relacionados
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será visível. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados com *