Como escolher uma placa óssea

Uma placa óssea é um implante que se aparafusa a um osso, a uma articulação ou a vários segmentos ósseos. É utilizada para reduzir uma fratura óssea ou corrigir uma deformação ortopédica.

Placas ósseas: ver produtos

  • Quais os principais tipos de placas ósseas?

    Existem três tipos principais de placas ósseas: placas de compressão, placas de artrodese e placas de osteotomia.

    • Placas de compressão óssea: estas placas são utilizadas em caso de lesões traumáticas em ossos.
    • Placas de artrodese: estas placas são utilizadas para estabilizar ou imobilizar uma articulação que tenha sofrido um traumatismo.
    • Placas de osteotomia: estas placas são utilizadas para o alongamento de um osso ou para corrigir certas deformações ortopédicas.

    Dependendo dos casos, a placa óssea irá promover:

    • A redução da fratura, para restabelecer a morfologia do osso, nomeadamente o comprimento e o alinhamento ósseo;
    • A fixação da fratura, a fim de assegurar uma estabilidade absoluta ou relativa;
    • A mobilização precoce da área afetada, com vista à recuperação total do paciente;
    • A preservação da vascularização dos tecidos moles e do osso.

      Placas de osteotomia da marca Arthrex

      Placas de osteotomia da Arthrex

  • Que critérios ter em conta na escolha de placas ósseas?

    Há vários critérios que devem ser tidos em consideração para se escolher uma placa óssea, como a utilização prevista, se se pretende uma placa bloqueada ou não, a geometria dos orifícios e os materiais de que é feita.

    • Utilização prevista: compressão, artrodese ou osteotomia;
    • Parte do osso em causa;
    • Lado em que se situa o osso (direito ou esquerdo);
    • Placa bloqueada ou não bloqueada;
    • Geometria dos orifícios;
    • Perfil da placa;
    • Formato e tamanho da placa;
    • Placa com ranhuras ou placa lisa;
    • Materiais de fabrico.

      Placa de compressão tibial da Depuy Synthes

      Placa de compressão tibial da Depuy Synthes

  • Placas ósseas bloqueadas ou não bloqueadas?

    Existem placas bloqueadas, cujos orifícios têm uma rosca interna para fixação dos parafusos, e placas não bloqueadas. Cada um destes tipos apresenta vantagens próprias.

    Vantagens das placas ósseas bloqueadas:

    • Contacto não necessário com o osso: como a placa bloqueada não precisa de estar em contacto com o osso, não é necessário posicioná‑la com muita precisão para se conseguir uma redução suficiente da fratura.
    • Menos danos no osso: o sistema de placas bloqueadas causa menos danos no osso cortical subjacente do que as placas convencionais, que comprimem a placa contra o osso cortical.
    • Baixo risco de afrouxamento dos parafusos: o risco de que surjam folgas entre a placa e os parafusos é menor com placas ósseas bloqueadas. Assim, também é mais reduzido o risco de complicações inflamatórias causadas por tais folgas.

    A principal vantagem das placas ósseas não bloqueadas é a maior angulação possível na colocação dos parafusos.

  • Placas ósseas com orifícios simétricos ou assimétricos?

    Podemos distinguir as placas ósseas segundo a geometria dos seus orifícios, que podem ser simétricos ou assimétricos.

    • Placas com orifícios simétricos: na maioria das placas de compressão, os furos são simétricos, permitindo a compressão em ambos os sentidos.
    • Placas de orifícios assimétricos: algumas placas de compressão têm, no entanto, furos assimétricos, que permitem a compressão unidirecional do osso. Estas placas são colocadas de forma que a sua secção média coincida com os fragmentos que se pretende comprimir. Oferecem frequentemente uma maior liberdade de posicionamento.
  • De que materiais são feitas as placas ósseas?

    Placa óssea de reconstrução da mandíbula Stryker

    Placa de reconstrução mandibular da Stryker

    Os principais materiais utilizados em placas ósseas são o metal e os polímeros bioabsorvíveis.

    • Metal: estas placas ósseas podem ser fabricadas em aço inoxidável ou em titânio.
    • Polímeros bioabsorvíveis: há placas ósseas em carbonato de trimetileno (TMC), em ácido poliglicólico (PGA), em ácido poliláctico (PLA) e seus derivados (PLLA, PDLLA).
  • Placas ósseas metálicas ou absorvíveis?

    Listamos, em seguida, as vantagens e desvantagens das placas metálicas e das placas absorvíveis.

    Placas ósseas metálicas:

    Vantagens: 

    • Elevada resistência mecânica à torção e ao esmagamento;
    • Grande disponibilidade destas placas e respetivos parafusos, visto serem as mais comuns.

    Desvantagens:

    • Risco de reações alérgicas e de infeções;
    • Efeitos mutagénicos de alguns metais nos tecidos;
    • Risco de interferência em exames de diagnóstico por imagem (raios X ou ressonância magnética);
    • Palpabilidade significativa do implante;
    • Eventual necessidade de voltar a operar para retirar a placa e os parafusos;
    • Sensibilidade às variações de temperatura.

    Placas ósseas absorvíveis:

    Vantagem:

    • Possibilidade de cortar as placas à medida antes da cirurgia;

    Desvantagens:

    • Menor resistência mecânica;
    • Menor estabilidade da placa e dos parafusos;
    • Morosidade do processo de absorção;
    • Utilização limitada apenas a certos procedimentos de osteossíntese;
    • Escolha limitada de materiais biodegradáveis.

      Placa de compressão óssea absorvível da Inion

      Placa de compressão absorvível da Inion

Guias relacionados
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será visível.